Planejamento e organização – qual é a sua melhor forma de fazer?

No comments

A semana está começando e um bom exercício diário é pensar quais são as nossas prioridades. O que é importante que seja realizado? E lembrar disso todos os dias – direcionar nossa atenção e ações. Planejar e organizar são importantes pilares para a realização.

Já testei várias formas de me planejar e, atualmente, o que gosto de fazer é ter um planejamento semanal (escrito), com acompanhamento e revisões diárias. Coloco meus projetos e atividades no papel e na agenda (com notificações), coloco todos os compromissos com hora marcada. A partir disso, faço revisões e ajustes. Flexibilidade e dinâmica são importantes para caminhar com nossos planos, ao mesmo tempo que ter foco e disciplina – paradoxal?!

Muitas pessoas, comentam que não gostam de ter obrigações e tudo muito definido, estruturado. Cada um tem seu jeito e forma de se organizar e se planejar! Eu só não encontrei ainda alguém que conseguisse se sentir realizado, tranquilo e produtivo, sem o mínimo de organização e planejamento. Pelo contrário – quanto menos planejamento e organização, maior o desespero, sentimento de angústia, medo de perder prazos, culpa por realmente ter falhado com compromissos importantes, pouco sentimento de satisfação e realização…então, a pergunta que deixo é: cada um tem sua forma de estabelecer prioridades, planejar e se organizar – qual é a sua melhor forma?

Uma boa maneira de descobrir é pensar nos próprios padrões e testar novas ações pra ver o que funciona melhor. E ir mudando até encontrar seu jeito e formar um hábito produtivo e satisfatório (que pode sempre ser renovado…). O que acontece muitas vezes é que algumas pessoas aprendem métodos rígidos que deram certo para algumas pessoas, mas quando começam a aplicar, nas primeiras tentativas, pela dificuldade, desistem e ficam frustradas.

Os métodos e dicas, neste sentido, servem como direção, insights, mas você pode criar algo a partir disso, que seja coerente com seu jeito de ser. E, claro, desistir de encontrar formas mais produtivas de agir, não é nem de longe a melhor escolha. Se você persistir, verá que vai melhorar, mesmo que aos poucos. Falando em dicas e métodos, compartilho com você algo simples, que vejo ser bem útil – pensar: quais são minhas prioridades? E usar algumas perguntas do método 5W2H:

O que – objetivo, meta
Por que – motivo, benefício
Quem – responsável, equipe
Quanto – custo, quantidade
Como – atividades, processo
Quando – data, cronograma
Onde – local, departamento

Patrícia SchuindtPlanejamento e organização – qual é a sua melhor forma de fazer?
Ler mais

Avanço sob medida – qual é seu método? Faça o exercício.

No comments

Se você pesquisar conteúdos sobre MÉTODOS PARA CUMPRIR METAS, ALCANÇAR SONHOS, TER MAIS FOCO, terá milhões de opções de leituras, dicas, etapas, passos, metodologias, segredos de sucesso.

Mas, porque será que mesmo com tanta informação de qualidade, algumas pessoas, ou muitas pessoas, ou a maioria das pessoas, não conseguem ou tem dificuldades de lidar com essas questões?

Acredito que buscar metodologias, ouvir especialistas e pessoas que conseguiram “chegar lá”, seja muito relevante, pois ajuda na elaboração de ideias, na criação de novas práticas e pode facilitar esse processo de mudança!
Mas, o grande ponto que gostaria de transmitir com esse texto é que para essas questões, definitivamente, não existe um padrão universal que funcione para todos. É preciso aplicar esses conhecimentos em sua vida, considerando o seu jeito de ser, o seu funcionamento, a sua personalidade, o seu momento de vida, a sua motivação. Por isso, crie o seu próprio método. Permita-se ter um tempo de construção.

Dedique, sim, um tempo para conhecer o que há no mercado em termos de metodologia e dicas, coloque em prática por fases e tenha novas ideias a partir disso. Continue a construção. Aqui o sentido é continuar, se adaptar. Entre em um processo e não espere respostas imediatistas de você mesmo.

E aí vem um segundo ponto: em momentos onde ocorre um erro, uma falha, ou em que algo não deu certo, muitas pessoas desistem e abandonam a intenção inicial e, assim, voltam aos dilemas e inércia diários. Talvez aí esteja a oportunidade de uma grande observação a se fazer – o que deu certo e o que deu errado? O que eu poderia continuar fazendo e o que eu preciso adaptar? Reforce as conquistas, por menores que pareçam. Não é possível percorrer 1 Km com apenas um passo, mas, com um passo de cada vez, você pode alcançar 1 Km, não é mesmo?

Mudar requer esforço! Nosso cérebro gasta energia quando novos hábitos estão sendo formados, mas à medida que vamos incorporando novas atitudes e atividades na rotina, ele pode ir automatizando aquilo, por isso, a ideia de insistir, mesmo quando ainda exista um esforço consciente.

Você se lembra de como foi quando começou a digitar no computador? Pense agora – como é hoje? A velocidade da digitação aumentou ao longo do tempo? Você precisa pensar em cada letra que vai escrever? Quanto mais as pessoas usam o computador, mais automático vai ficando.

O que facilita esse processo de transformação é a intenção. Toda vez que colocar metas para si, decidir focar em algo, estiver pensando em seu sonho, vale a pena ter muito claro – para que isso?

Qual é o motivo de colocar isso como meta? O que vai acontecer se eu conseguir permanecer mais focado? O que vai acontecer se eu conseguir persistir rumo ao meu objetivo? Escreva as respostas e mantenha em local visível ou que você acesse com frequência ideal para permanecer conectado a isso. O nosso cérebro precisa de lembretes, ajude-o da forma mais criativa que puder!!!

Agora, se você leu até aqui, topa uma brincadeira? Responda as seguintes questões:

 

O que posso fazer para não cumprir minhas metas?

Qual é o meu segredo para perder a concentração?

Qual o impacto positivo de gastar meu tempo com atividades sem utilidade, superficiais e que me desviam do que é importante para mim?

Agora tire a palavra “não”, da primeira pergunta. E responda novamente. Troque a palavra “perder”, por “manter”, na segunda. Responda novamente. Troque “positivo” por negativo na última. Responda novamente. Quais são seus pensamentos agora?

Escreva-os e transforme em ações!

estar disposto a errar para poder acertar.

Quais são os pensamentos que te vêm à mente? Escreva-os e transforme em ações práticas.

Ps. A foto foi tirada por minha mãe, Inês Kühl, que é costureira e sabe bem como fazer roupas sob medida – cada pessoa tem tamanhos e gostos diferentes e por mais que existam medidas padrão que dão ótimas roupas, ajustes finos para cada pessoa fazem a diferença.

Patrícia SchuindtAvanço sob medida – qual é seu método? Faça o exercício.
Ler mais