Saiba como lidar bem com objetivos desafiadores.

No comments

Se você tem um objetivo desafiador pela frente – qualquer que seja seu contexto – pode ser que esteja sentindo ansiedade, desespero, medo e a angústia da dúvida – será que vou conseguir?

Allan Beddeley, um importante pesquisador da memória humana e professor da Universidade de York, realizou estudos especialmente sobre a Memória Operacional – parte do cérebro onde ocorrem processos de aprendizagem, raciocínio e compreensão e percebeu que emoções, como o medo e a ansiedade, podem impactar negativamente no desempenho de tarefas cognitivas.

Talvez você consiga perceber isso a partir de sua experiência:

Quando estava nervoso em uma apresentação e não conseguiu falar exatamente o que queria para a plateia;

Quando errou uma música que dominava em uma apresentação;

Quando teve um erro no campeonato, de algo que era simples pra você;

Quando não conseguiu executar ações com o melhor desempenho, mesmo que tecnicamente dominasse 100%;

As emoções podem ajudar ou atrapalhar seu desempenho.

Quero compartilhar com você algumas dicas para que consiga se concentrar no que pode te ajudar neste sentido.

1) Tenha em mente o objetivo que você quer atingir. É muito importante saber qual é o seu alvo e manter os olhos nele. O foco é algo muito poderoso. Lembre-se que onde você coloca sua atenção e a lente que você usa para enxergar, faz toda a diferença.

2) Defina quais são os passos que precisa dar e concentre-se neles. Isso ajuda você a usar seus recursos mentais focados em áreas do cérebro que cuidam do planejamento, raciocínio.

3) Tenha pensamentos e conversas internas positivas, que geram confiança e desta forma te ajudam a usar melhor o seu potencial – o que desperta isso em você? Quais são os pensamentos produtivos a respeito do objetivo?

Esforce-se e faça testes de mudanças –  aos poucos, você poderá evoluir naquilo que parecia um grande obstáculo.

Entre em contato para agendar uma conversa sobre o Coaching, caso queira ajuda  para facilitar o processo diante de um objetivo desafiador ou para obter mudanças – pschuindt@r122coaching.com.br

 

(foto retirada do site: Melhor com saúde)

Patrícia SchuindtSaiba como lidar bem com objetivos desafiadores.
Ler mais

Ajuda = gotas de esperança + uma dose de forças

No comments

Será que você pode ajudar alguém hoje e essa ajuda pode servir de esperança e força para a caminhada? 

Se você neste momento também precisa de ajuda, fale para as pessoas e seja específico no que busca, quem sabe, encontrará pessoas dispostas a ajudar ou mesmo te orientar sobre possíveis caminhos?!

Veja o exemplo abaixo:

“Tenho um grande desafio pela frente, um objetivo que me parece difícil de ser alcançado…Mas, ao comunicar minhas dificuldades a amigos e contar aspectos específicos que são minhas dificuldades, alguns deles se disponibilizaram a me ajudar – seja esclarecendo sobre um assunto específico, dando uma dica técnica, mentoreando conforme experiência, me direcionando a pessoas que poderiam ajudar…Cada ação feita por pessoas em direção a mim, tem sido como uma peça chave de um quebra-cabeças e cada vez avanço rumo ao que me parecia ser muito difícil e nebuloso…Cada contribuição, foi definitivamente somada à minha motivação interna, e me impulsionou a permanecer no caminho. Aliás, ainda estou no caminho, mas sei que sem o apoio e contato com essas pessoas, não teria caminhado tão bem até aqui. O desafio permanece grande, mas cada ajuda que recebo, é como uma gota de esperança e me dá forças para ir adiante. A certeza, é que não preciso ir sozinha. Que junto com outras pessoas, posso tirar o peso excessivo e facilitar coisas que seriam complicadas demais pra mim”.

“Cada ajuda que eu recebo, é uma gota de esperança e uma dose de forças para encarar meus desafios”

 

Patrícia SchuindtAjuda = gotas de esperança + uma dose de forças
Ler mais

Um exemplo de incentivo e superação

No comments

Você já viu o vídeo abaixo? Ele mostra uma cena com um filhote de cão, um cão adulto e sua dona.
Inicialmente, o cãozinho tentou descer a escada, mas não conseguiu. Sua dona o incentivou desde o início e indicava ao cão adulto para mostrar ao filhote como descer – e ele fez isso algumas vezes. Até que o cãozinho conseguiu descer e foi recebido lá embaixo com festa!!!
Ao assistir a cena, além de achar uma graça a forma que toda a situação foi conduzida, com carinho e atenção, me fez pensar sobre como nós lidamos em questões como essa – de superação de limites – nossos e de pessoas ao nosso redor.

 

 

 

Em determinadas situações desafiadoras, algumas pessoas podem sentir medo, duvidar da própria capacidade, dos recursos internos e habilidades. Existem momentos que uma preparação prévia é devida e maior atenção ao desenvolvimento também. Mas, muitas vezes, o que precisa ser feito é “descer os primeiros degraus”, para entender que tudo que é necessário para o desafio já está presente. O filhote estava tentando descer, de seu jeito. Mas parecia não acreditar que conseguiria, parecia sentir medo. Mesmo já tendo os recursos e capacidade para tal. Quando ele tenta de forma mais ousada pela primeira vez, fica paralisado, retrocede e começa a chorar. Nesse momento, o cão adulto e sua dona continuaram na missão de encorajá-lo a tentar novamente!

Vejo que se as pessoas forem encorajadas dessa forma, podem ir muito adiante. A decisão e atitude de fazer algo é individual, mas a participação de outras pessoas na jornada, pode ser fundamental em alguns momentos, trazendo um grande impacto positivo!

Fornecendo incentivo, reconhecimento, palavras de afirmação e apoio, você pode:
– ajudar as pessoas a darem um passo adiante, para alcançarem aquilo que almejam;
– promover maior clareza para que as pessoas enxerguem aquilo que não conseguiam perceber antes sobre si mesmas (suas forças, habilidades, capacidade, grandeza);
– como líder, fornecer um ambiente de aprendizado e ajudar as pessoas a agirem de forma mais eficiente (como disse Tal Ben-Shahar, professor da Universidade Harvard – “Deve-se também valorizar os próprios pontos fortes e, no caso dos chefes, os pontos fortes das pessoas da equipe, o que aumenta a eficiência dos times. Isso não significa deixar de lado as fraquezas, que devem ser gerenciadas. Apenas que a maior parte da energia precisa ser gasta fortalecendo os pontos fortes ao máximo” – retirado da matéria: O professor de Harvard que ensina a ser feliz, Exame.com).

Aqui fica uma pergunta: Como você tem contribuído com o avanço das pessoas ao seu redor?

Outro ponto que vale destacar é: será que em alguns momentos você tem agido como o filhote no momento inicial do vídeo? Com quem você pode contar para te ajudar na caminhada? O que te ajudaria a dar os primeiros passos?
Que você possa superar os desafios! Deixar o medo de lado, tomar coragem e alcançar objetivos, dos mais simples, aos de maior complexidade. E que também possa apoiar, incentivar e encorajar outras pessoas naquilo que esperam alcançar.

Patrícia SchuindtUm exemplo de incentivo e superação
Ler mais