A merecida crítica ao “Coaching”

No comments

Sabemos o quanto o Coaching tem crescido no Brasil e o quanto ele é importante como metodologia de desenvolvimento de pessoas e realização de projetos.

Ao mesmo tempo, tem surgido cada vez mais pessoas se levantando contra o “Coaching”. Algumas pessoas têm tido aversão à palavra Coaching e a tudo o que se relaciona a este universo. Tem até algumas páginas na internet dedicadas a fazer críticas, muitas vezes severas à prática. 

Existe também um movimento propondo a criminalização do Coaching como profissão, que está tramitando no Senado. Como você pode ver nesse texto (clique aqui).

Por outro lado, surge esse outro movimento buscando a regulamentação do Coaching como Profissão (como citado no mesmo texto acima). 

Acho ótimo que ocorram discussões desse tipo. E é justamente sobre isso que quero falar nesse texto.

Quando começo a ler as críticas e posicionamentos contra o “Coaching”, fico refletindo e ponderando alguns pontos. E, no fim, percebo que o que estão falando sobre o “Coaching”, em grande parte têm razão. Por isso, o nome do texto “as merecidas críticas”…Vou explicar logo abaixo.

O primeiro ponto que quero trazer aqui são na verdade perguntas:

– De que Coaching estão falando?

– Quem é esse Coach que tem sido criticado intensamente? 

Ao responder essas perguntas, muitas questões são esclarecidas. Porque existe “Coaching” / “Coach” (entre aspas) e Coaching Coach verdadeiros. É importante compreender diferenças.

Sobre o “Coaching” / “Coach“: existe nesse mercado, pessoas que se posicionam sem ética e competência para atuar, se autointitulando Coaches.  Tem pessoas que apresentam o Coaching com propagandas enganosas. São os “milagreiros”, que vendem uma ideia do Coaching como solução para tudo no universo e a resposta mágica para qualquer tipo de questão…Então, só para destacar esses dois pontos:

  1. Coaching não é a solução para tudo (tão óbvio, né? Mas tem sido necessário explicar). Existem abordagens que podem ser mais adequadas, dependendo da situação. Por exemplo, a Psicoterapia, a Consultoria e a Mentoria, são possibilidades de processos que podem ser indicados em determinados casos. 
  2. Nem tudo que recebe o nome de “Coaching” é Coaching. Sempre existiu e sempre existirão as pessoas que usam nomes indevidos, para atrair pessoas e gerar vendas, conforme a onda do momento. Não é mesmo? E tem sido assim. Tem gente dizendo que é Coach, que não é Coach. Tem gente dizendo que faz Coaching, que não faz Coaching.

Então, quero explicar um pouco do Coaching que conheço e entendo como metodologia de desenvolvimento. Onde o Coach (que é o profissional), é capacitado para facilitar o pensamento e processo do Coachee (pessoa que passa pelo Coaching).

Coach facilita, através de suas competências, um processo de reflexão e desenvolvimento. Onde o Coachee define seus objetivos, reflete sobre si e sobre como alcançá-los, se conhece e busca sua transformação, com ideias e ações práticas. É um processo de maximização de potencial e crescimento.

Um Coach pode ser, por exemplo, credenciado à ICF, que é a International Coach Federation, uma organização global que busca a qualidade e ética na atuação profissional do Coaching. Os Coaches que são credenciados à ICF têm como se fosse um “selo de qualidade”, porque são capacitados e precisam demonstrar essa capacitação para receberem o credenciamento. Clique abaixo para abrir os links com as 11 competências da ICF e o Código de Ética da organização: 

Clique aqui para ver o Código de Ética ICF .

Clique aqui para ver as Competências ICF. 

Nós da R122 acreditamos nesse caminho e priorizamos em nosso time essa base e definição.  

E dentro desse contexto de credenciamento, existem três níveis:

O Coach ACC (Associate Certified Coach)

O Coach PCC (Professional Certified Coach)

O Coach MCC (Master Certified Coach)

Para cada nível desses credenciamentos, é exigido um número mínimo de horas completas de treinamento, uma quantidade mínima de horas de experiência e uma nota mínima em uma avaliação padrão, para medir os conhecimentos em Coaching.

Aqui vai um detalhe. Para ser um MCC, ou seja, um Master Coach, é preciso ter muita experiência prática, conhecimento e comprovar isso. O processo leva anos. Diferente de algumas situações onde para ser um Master Coach, você faz um curso e pode obter o título mais rapidamente.

O detalhe também é que a ICF não é uma escola de Coaching, é uma organização sem fins lucrativos, constituída por profissionais do mundo todo, de diferentes instituições.

Veja mais informações sobre o credenciamento à ICF aqui (é só clicar).

Finalizando, apresentei essas informações até mais técnicas, mas para que você entenda um pouco mais do que está acontecendo e conheça nosso posicionamento.

Sempre que estiver em dúvida sobre o Coaching, procure se informar e conhecer qual a formação e a trajetória da pessoa e onde ela está inserida nesse contexto todo. Esse é um ponto importante para diferenciar de que Coach estamos falando.

E se você tiver qualquer dúvida, qualquer questão ou mesmo quiser vivenciar uma sessão de Coaching com alguém de nós da R122, estamos por aqui para conversar.  

E vamos levar essa conscientização que é tão importante para que haja coerência e que tenhamos um mercado justo, correto e que as pessoas entendam o Coaching como uma ótima possibilidade dentre outras, dependendo de cada situação.

Patrícia SchuindtA merecida crítica ao “Coaching”
Ler mais

Diferenças entre Coaching e Mentoria

No comments

Muitas pessoas confundem Coaching e Mentoria, por isso, decidi compartilhar sobre algumas diferenças das abordagens, especialmente para esclarecer o que é o Coaching, já que hoje em dia, há muita confusão e visões distorcidas sobre a atuação de um Coach.

As duas práticas são muito importantes e falo isso profissionalmente e pessoalmente. Passar pelo processo de Coaching, fez (e faz) muita diferença na minha vida e ter mentores também.

Um Mentor é alguém com mais conhecimento e experiência que você em determinada área ou assunto. Ele te orienta, ensina, responde suas dúvidas, a fim de que você cresça e se desenvolva mais rápido do que seria se estivesse sozinho e se você fosse pesquisar tudo por conta própria.

Por exemplo, você quer empreender e busca alguém que já tem uma empresa e compartilha com você o que sabe sobre negócios, as experiências que viveu, responde suas perguntas, te ajuda em alguma situação em que não sabe o que fazer. Um outro exemplo: você acabou de assumir um cargo novo de gerência e tem muitas dúvidas e inseguranças. Então, decide buscar alguém que foi gerente como você, para te ajudar nos seus desafios e crescimento.

Então, na Mentoria, sempre tem alguém com mais experiência, conhecimento e técnica sobre determinada área e alguém que está sendo o aprendiz.

Já o Coach, não tem o papel de ensinar, aconselhar, orientar, dar respostas. Por isso, ele não precisa ser especialista em sua área, nem ter passado por experiências como a que você vive. O que um Coach faz, então? Ele te ajuda a pensar. Pensar da melhor forma possível para alcançar seus objetivos e transformações. Parece simples, mas na verdade não é. Isso requer muita técnica e habilidades específicas, que são aprendidas em cursos de formação específica.

No Coaching há um espaço seguro, neutro e confidencial, em que o Coach foi capacitado a fazer perguntas que te ajudam a refletir, encontrar possibilidades e ir para a ação, em direção aos seus objetivos. Ele também te escuta e busca compreender quem é você e nesse espaço de escuta, você tem liberdade para compartilhar seus medos, crenças, frustrações, sonhos, expectativas…Ele também te ajuda a se conhecer melhor e a buscar as transformações que você quer. Te ajuda a desenhar planos e executá-los. Te dá feedback sobre que percebe, a fim de te ajudar a avançar no que você busca. O Coach é, portanto, um profissional treinado para desenvolver pessoas, através de habilidades e técnicas que aprendeu em cursos específicos. Há diversas escolas de Coaching e diferentes tipos de certificações. Coaches que são credenciados pela International Coach Federation/ICF, por exemplo, têm como diretrizes 11 Competências e um código de ética da profissão e passaram por um processo de avaliação para comprovação prática e teórica.

Uma vez, um Coachee  me disse ao final de um processo de Coaching  “o coaching não dá o peixe, mas ensina a pescar. Sou uma pessoa diferente. Abriu minha mente. Fora da caixa que eu pensava existia muita coisa”.

Tanto Coaching, quanto a Mentoria podem trazer crescimento, mas com abordagens e focos diferentes. Eu sempre busco os dois recursos para meu desenvolvimento e recomendo isso, pois são complementares. Sim, esses papéis podem estar concentrados em uma mesma pessoa. Tendo claras as diferenças, são preciosas oportunidades de desenvolvimento.

Patrícia SchuindtDiferenças entre Coaching e Mentoria
Ler mais

Coaching e Liderança de destaque e alto desempenho

No comments

Além disso, quando falamos em habilidades de um líder, é possível transformar positivamente o modelo de liderança através do desenvolvimento de técnicas e habilidades de Coaching.

Por que consideramos essa transformação como positiva?

Com base em nossa experiência prática formando pessoas, organizamos os principais benefícios de uma liderança com habilidades de Coaching:

  • Aceleração de resultados de forma sustentável;
  • Motivação de longo prazo para a equipe;
  • Melhoria da produtividade;
  • Aumento do ritmo de inovação;
  • Formação de novas lideranças;
  • Efetividade na comunicação;
  • Aumento do nível de maturidade das pessoas;
  • Desenvolvimento da cultura de aprendizado e crescimento;
  • Formação de novas lideranças;
  • Ambientes saudáveis, maduros e de alto desempenho.

A mentalidade e os comportamentos de um Líder-Coach fazem toda diferença.

SUA COMUNICAÇÃO é alinhada e positiva; ele sabe escutar efetivamente e faz perguntas poderosas, que levam a um ambiente criativo, de reflexão e ação.

Atua em PARCERIA com a sua equipe, em um relacionamento produtivo, para criar metas e planos e acompanhá-los, visando atingir os resultados.

SUA MENTALIDADE consiste em olhar para as pessoas como pessoas – que têm potencial, habilidade, necessidades, emoções e pontos a desenvolver. Ele não ignora o fato de serem humanos, mas trabalha a partir dessa perspectiva.

Quais são seus desafios como Líder?

Compartilho algumas falas que gosto muito, que falam a respeito de liderança, com intuito de te ajudar em sua reflexão.

“Uma boa liderança é sobre experiências humanas. Não é uma fórmula ou programa, é uma atividade que vem do coração e leva em consideração os corações de outras pessoas. É uma atitude, não uma rotina.” Lance Secretan

“Realmente, liderar é fazer com que as pessoas contribuam com entusiasmo, de preferência com o coração, a mente, a criatividade, a excelência e outros recursos. E se tornem as melhores pessoas que são capazes de ser.” James C. Hunter

Líderes que são bons Coaches inspiram e desafiam as pessoas a crescerem e desenvolverem em sua corporação; em última análise, tais líderes são capazes de atingir resultados de negócios mais significativos do que outros que fornecem menos suporte e colaboração”.

“Um bom Coach age como um acelerador que auxilia os colaboradores a darem passos positivos em direção a uma meta e que reflete sobre as lições vindas da experiência para que estejam mais preparados a atingir suas futuras metas.”

(Os dois últimos trechos foram extraído de um artigo escrito por profissionais da Accenture (EUA) a respeito de Coaching e Liderança – Rachel Domers McCarthy, Eric Feuerlicht, Berit Ohn e Yaarit Silverstone)

E aí, o que pode aprender a partir dessa leitura?

Patrícia SchuindtCoaching e Liderança de destaque e alto desempenho
Ler mais

Novo credenciamento como Coach ICF

No comments

Nós, Coaches da R122 Coaching, somos associados e credenciados à ICF – International Coach Federation, que é a maior associação global de coaches, com mais de 27 mil membros em mais de 140 países.

No último dia 8 de março, passei a um novo nível de credenciamento – PCC (Professional Certified Coach). Isso quer dizer que a instituição reconhece a minha formação e experiência como Coach, em nível global. O que é bacana é que os critérios para conseguir isso são:

  • Comprovar número pré-determinado de horas de atendimento como Coach.
  • Comprovar ter feito um treinamento específico em Coaching (fiz dois cursos em instituições certificadas pela ICF).
  • Ter recebido mentoria de alguém mais experiente e qualificado.

Pra mim, ser Coach credenciada à ICF significa ter referências (de conteúdo e pessoas), ter competências norteadoras e parâmetros éticos, oportunidades de crescimento e reconhecimento global, bem como consistência técnica e ética.

Se você quer entender melhor sobre a ICF, por estar analisando Coaches para contratar ou porque quer ser Coach, veja mais informações abaixo e no site.

“Fundada em 1995, sem fins lucrativos, a sua missão é contribuir para o avanço da arte, ciência e prática do coaching profissional. A ICF é o maior recurso mundial de informações e pesquisas sobre coaching para coaches e para organizações ou pessoas que procuram um coach.

Pautada por um rigoroso Código de Ética, a ICF visa preservar a integridade da profissão de coaching, estabelecendo elevados padrões de qualidade para certificação de programas independentes de treinamento em coaching e para o credenciamento de seus associados. A ICF não fornece serviços de coaching ou de formação em coaching ao mercado.

A ICF atua como um orgão certificador de profissionais e de programas de treinamento em coaching. Diferencia-se principalmente pelo seu programa de credenciamento de coaches, com três níveis de credencial, reconhecidas mundialmente como selos de qualidade para o coach profissional: ACC (Associate Certified Coach), PCC (Professional Certified Coach) e MCC (Master Certified Coach).

Um coach credenciado pela ICF cumpriu formação e requisitos de experiência rígidos e demonstrou um compromisso forte para com a excelência em coaching.

A ICF oferece o único programa de credenciamento independente mundialmente reconhecido. Mais de 6.600 coaches receberam um dos três tipos de Credenciamento oferecidos pela ICF desde que o programa começou há mais de uma década.”

Saiba mais: http://www.icfbrasil.org/icf.html

Patrícia SchuindtNovo credenciamento como Coach ICF
Ler mais

Ser Coach versus International Coach Federation (ICF)

No comments

Ser Coach é se responsabilizar por seu autodesenvolvimento. Melhorar sempre, como pessoa e profissional.

Fiz duas formações específicas para atuar como Coach. Cada uma durou aproximadamente 6 meses, entre conteúdo, prática, aplicação fora das aulas, mentorias, avaliações – e a formação continua sempre.

As duas escolas em que me formei são credenciadas à International Coach Federation (ICF) e a R122 Coaching tem sua gestão Associada e credenciada a esta instituição, por isso, decidi compartilhar com você um pouco sobre a organização.

Qual o propósito da ICF?O propósito central da International Coach Federation (ICF) é liderar o avanço global da profissão de Coaching. A ICF é uma organização de adesão individual, sem fins lucrativos, formada por profissionais de todo o mundo que praticam, ensinam ou pesquisam o Coaching. A ICF assumiu a liderança no desenvolvimento de uma definição e filosofia de Coaching, bem como de estabelecer padrões éticos entre os seus membros em todo o mundo.

Qual a visão?

Coaching é uma parte integrante de uma sociedade próspera e cada membro da ICF representa a mais alta qualidade de profissional de Coaching.

Quais os valores?

Coaches da ICF estão comprometidos com confiabilidade, transparência, aceitação, congruência e consideram todas as partes de toda a comunidade ICF mutuamente responsáveis para defender os seguintes valores:
• Integridade: Defender os mais elevados padrões tanto para a profissão de coaching e nossa organização.
• Excelência: Montamos e demonstramos padrões de excelência para a qualidade profissional de Coaching, qualificação e competência.
• Colaboração: Nós valorizamos a conexão social e construção da comunidade que ocorre através da parceria colaborativa e realização co-criado.
• Respeito: Nós estamos incluídos e valorizamos a diversidade e riqueza dos nossos parceiros globais. Nós colocamos as pessoas em primeiro lugar, sem comprometer os padrões, políticas e a qualidade.

Fazer parte de uma instituição assim é importante para ajudar no próprio desenvolvimento e ter parâmetros a seguir, bem como contribuir com a profissão que tanto cresce no mundo – o Coaching.

Fonte das informações e locais onde você pode buscar mais conteúdo:

ICF Global: www.coachfederation.org
ICF Brasil: www.icfbrasil.org
ICF SP: http://www.icf-sp.org/

Até mais!

Patrícia SchuindtSer Coach versus International Coach Federation (ICF)
Ler mais

Como contratar um Coach? (Por Rodrigo Aranha, ICF)

No comments

Segue abaixo o Link do texto escrito por Rodrigo Aranha, atual Presidente da ICF-SP.

Um texto bem detalhado que pode trazer esclarecimentos sobre a escolha de um Coach.

http://www.icf-sp.org/indicacoes.php?id=77&p=artigo-como-contratar-um-coach

Segue um trecho:

“Pesquisas apontam que o fator que contribui mais significativamente para o resultado bem sucedido de um programa de Coaching é a qualidade do relacionamento entre o Coach e o cliente. Dessa forma, é fundamental que você se assegure da existência de uma conexão relevante entre você e o profissional que você escolher. Em outras palavras, é fundamental que haja uma química entre os dois, ou, popularmente falando, “que o santo cruze”.

No caso de um processo de contratação de um Coach executivo, onde, via de regra, é a área de Recursos Humanos da empresa que faz o processo de seleção e contratação do Coach, é altamente recomendável que o coachee em questão, isto é, o executivo que será submetido ao processo de Coaching, tenha a oportunidade de entrevistar ao menos 2 profissionais previamente selecionados pela área de Recursos Humanos, justamente por conta da questão da conexão, ou empatia, que deve haver entre Coach e coachee, como aspecto fundamental para o bom andamento do programa.

Ao escolher um bom Coach, a probabilidade de você ter uma experiência altamente positiva e com elevado retorno para seu investimento é grande! De acordo com o 2010 Global Coaching Cliente Study, conduzido pela ICF – International Coach Federation, 96% das pessoas que passaram por uma experiência de Coaching indicaram que iriam repetir a experiência, dadas as mesmas circunstâncias que as levaram a procurar um Coach pela primeira vez. Esta mesma pesquisa revelou adicionalmente os seguintes resultados:

Em termos de produtividade:

  • 70% dos pesquisados revelaram melhoria no desempenho no trabalho;
  • 61% revelaram melhoria na gestão dos negócios;
  • 57% revelaram melhoria na gestão do tempo; e
  • 51% revelaram melhoria na gestão de equipes.

Em termos pessoais:

  • 80% dos pesquisados revelaram melhoria na auto-confiança;
  • 73% revelaram melhoria nas relações interpessoais;
  • 72% revelaram melhoria na habilidade de comunicação; e
  • 67% revelaram melhoria no equilíbrio entre vida e trabalho.

Em termos de retorno sobre o investimento:

  • 68% das pessoas revelaram ter obtido retorno sobre o investimento realizado;
  • 86% das empresas revelaram ter obtido retorno sobre o investimento feito.

Sem dúvidas, posso afirmar que o investimento em Coaching vale a pena, sendo fundamental para isso a escolha bem feita do profissional que irá conduzir o processo.”

Vale a pena ler o texto completo, afinal, esta é uma importante escolha!

 

 

Patrícia SchuindtComo contratar um Coach? (Por Rodrigo Aranha, ICF)
Ler mais

O que preciso fazer para ser um Coach?

No comments

O Coaching tem crescido no Brasil e, naturalmente, muitas pessoas têm se interessado por seguir a atuação como Coach. Então, decidi escrever algumas (das muitas possíveis) principais dicas relacionadas ao assunto, considerando a minha experiência e as sugestões das minhas parceiras de trabalho na R122 Coaching. Como qualquer profissão, existem diferentes caminhos, mas tentei incluir o que percebo serem as principais dúvidas. Se tiver alguma pergunta, envie uma mensagem!

 

1) Faça um curso de formação em Coaching: isso é fundamental para atuar como Coach. Aí começa um desafio, já que existem tantas escolas e opções: qual escolher? Procure cursos que te deem realmente uma boa base para começar a trabalhar como Coach. Sugiro, então, que você avalie:

 a) Quantidade de horas do curso e se a escola tem órgãos reguladores: Por exemplo, minha primeira formação teve 60 horas de curso e a segunda formação, 128 horas, em escolas credenciadas junto à*ICF (International Coach Federation). Mas o que isso quer dizer? Que o curso daquela escola independente passou por um processo de validação de padrões de qualidade do treinamento em Coaching, pautado em um rigoroso Código de Ética e baseado nas competências que são demandadas na atuação como Coach (informações do site www.coachfederation.org). Para ter uma ideia melhor de comparação, você pode ler sobre os cursos com selo ACTP, ACSTH e CCE no site (www.icfbrasil.org/formacao). Conversando com alguns parceiros da área, a sugestão é que, para começar a atuar, você faça um curso pelo menos do nível ACSTH;

  b) Principais assuntos e a metodologia que o curso oferecerá: Procure entender quais serão os principais temas e fundamentos abordados e o que você vai levar do curso como bagagem para sua atuação;

 c) Quantas pessoas participarão da sua turma? Por exemplo, os dois cursos que fiz, tinham entre 10 e 20 pessoas, o que possibilitou que eu tivesse um participação de forma ativa, participativa e prática;

  d) O que está incluso no pacote do curso? Além das aulas com conteúdo, você terá a oportunidade de praticar de forma assistida? Isso é muito importante, pois apesar de sair totalmente motivado das aulas, ter um apoio para questões que surgem no caminho e ouvir situações de outros alunos, será muito bom. O que achei bacana das duas formações é que entre as aulas pude praticar, refletir, estudar e nas aulas ocorreram exercícios práticos supervisionados (uma das formações foi totalmente online, 4 horas por semana por uns 6 meses e a outra foram 3 dias presenciais e mais algumas semanas de aulas online com duração de 1h30 cada, totalizando uns 5 meses de curso);

 2) Pratique e tenha mestres: ainda durante a primeira formação, comecei a realizar meus primeiros processos de Coaching pró-bono (sem cobrar nada), para que eu pudesse realmente aplicar o aprendizado. Sou muito grata às pessoas que toparam a experiência, que fiz com muita dedicação. Inicialmente, tive em torno de cinco processos com pessoas diferentes, até realmente cobrar por um processo. Cada processo é muito diferente do outro e ganhar experiência é muito importante. Essa é uma dica: pratique com pessoas que saibam de seu momento e vá desenvolvendo até se sentir seguro para se lançar como Coach profissional. E sempre tenha em mente a melhoria contínua, por meio de supervisão e mentoria com pessoas mais experientes, além de fazer novos cursos de formação e aperfeiçoamento. Essa proximidade com pessoas há mais tempo na caminhada, ajudou acelerar o meu processo de desenvolvimento e qualificar minha atuação. É importante que você busque se consolidar como Coach e conquistar credenciamento, por exemplo, na ICF. Porque “Um coach credenciado pela ICF cumpriu formação e requisitos de experiência rígidos e demonstrou um compromisso forte para com a excelência em coaching. Os coaches credenciados receberam treinamento específico em coaching, comprovaram um número pré-determinado de horas de experiência e receberam mentoria de um coach qualificado” (retirado do site da organização). Isso dá credibilidade e um sentido de “estar no caminho certo”.

3) Faça uma avaliação “meu perfil” x “o que é ser Coach”.

 Avalie suas intenções, motivações e habilidades: elas são coerentes com o propósito da atuação de um Coach? Muitas pessoas têm se  interessado por ser Coaches, mas algumas vezes percebo que não vão a fundo para entender o que é de fato “ser coach” e nem para avaliar a si mesmas. Pra mim, para ser Coach é preciso ter um real interesse pelas pessoas. Temos um grande impacto sobre a vida das pessoas e precisamos cuidar disso. Também acho que o grande motivador precisa estar relacionado a um verdadeiro interesse pelos objetivos do outro, por ver a pessoa avançando no que quer, transformando sua mentalidade, aprendendo sobre si, descobrindo seus pontos fortes e desenvolvendo os fracos, enxergando as situações sob diferentes perspectivas, e oferecendo um espaço seguro e de confiança. É preciso ter interesse pelos pensamentos, comportamentos do outro e o que ele quer sobre isso.

 Pedi a opinião de minhas parceiras de trabalho e gostaria de compartilhar na íntegra, seus relatos tão bonitos!

 “Eu acredito que para ser coach, você precisa gostar de gente, se interessar genuinamente por pessoas. Como Coach você precisa ter curiosidade pelo “Quem” da pessoa que está diante de você para entender o seu modelo mental e poder facilitar o processo. Precisa se energizar e se motivar com pessoas e ter o propósito de criar um impacto positivo. Ser Coach pra mim é mais do que uma profissão, é uma missão e faço esse trabalho com muita motivação e fundamentado na visão de que se eu conseguir fazer a diferença na vida de alguém estarei cumprindo o meu objetivo”. Aline Freitas

 “Poucas coisas me motivam mais do que ver que fui importante no sucesso de outra pessoa e saber que posso ser um meio para resgatar a identidade das pessoas. A complexidade do ser humano me instiga. Fico muito curiosa pra saber o que pode vir da outra pessoa. Perceber padrões de comportamento e o que auxilia as pessoas, do ponto de vista científico, também é fascinante. Quanto a habilidades, acho que elas se desenvolvem… Claro que uma pessoa que já vem com capacidade de escutar, estar presente, e por aí vai, é bom, mas acho que há uma coisa importante que a pessoa precisa desenvolver: a capacidade de se preocupar menos com sua performance e o que pensam dela, para realmente focar mais no outro…” Juliana de Lacerda Camargo

 “O Coaching me fascina porque através desse trabalho posso conhecer mais do ser humano. Cada etapa do processo é riquíssima, mas quero destacar uma das etapas mais impactantes que é o momento da descoberta, onde a pessoa se percebe, descobre suas forças e grandezas, e também descobre as crenças que a limitam de alcançar seus objetivos. É a fase do resgatar a identidade, de esclarecer o que faz sentido, de alinhar as coisas com um propósito. É fantástico! Como Coach nós aprendemos muito participando dessas descobertas de outras pessoas. Além disso, ver a pessoa avançar, sair da sua zona de conforto, fazer coisas que não conseguia antes, ou que não acreditava que conseguisse, mudando sua perspectiva das situações e acreditando que pode ser quem nasceu pra ser, faz com que este trabalho se torne único e impactante. E de todas as habilidades de um Coach eu destaco duas habilidades poderosas no processo: a escuta ativa – o escutar além das palavras, ou seja, o que realmente está por trás de tudo que está sendo falado. É como descobrir os segredos mais preciosos dessa pessoa que tanto podem estar impedindo seu avanço como podem ser coisas boas não percebidas. E o despertar de uma nova consciência, que é o momento de ver as coisas de uma forma diferente, com novas perspectivas, como o mudar de canto de uma sala e perceber que a luz da janela é bem mais forte por este outro ângulo”. É o início da mudança, da percepção do novo”. Graziela Motta Teixeira

 Obrigada Aline, Graziela e Juliana pela contribuição de vocês nas informações aqui do texto!

 * A ICF – International Coach Federation é a maior associação global de coaches, com mais de 18 mil membros em mais de 100 países. Fundada em 1995, sem fins lucrativos, a sua missão é contribuir para o avanço da arte, ciência e prática do coaching profissional. A ICF é o maior recurso mundial de informações e pesquisas sobre coaching para coaches e para organizações ou pessoas que procuram um coach (site: www.icfbrasil.org)

Patrícia SchuindtO que preciso fazer para ser um Coach?
Ler mais

Por que procurar um Coach?

No comments

O que move muitas pessoas hoje em dia a procurarem o serviço de Coaching é a busca pelo desenvolvimento, alcance de objetivos e o desejo de obter mudanças, na vida pessoal e/ou profissional. Mas, o que faz o Coaching ser uma ferramenta tão poderosa e eficaz hoje em dia?

Acredito que um dos aspectos que contribuem para o sucesso do Coaching, seja a parceria e a interação entre o Coach (quem conduz o processo) e Coachee (o indivíduo foco), durante o processo.

Amparado por um método objetivo e estruturado (com começo, meio e fim), o Coach busca facilitar a reflexão, trazer conscientização e a criação de ações práticas, com foco em fazer com que o Coachee encontre soluções, visualize perspectivas e extraia aprendizados, rumo aos seus objetivos traçados.

Isso ocorre por meio de reuniões periódicas entre o Coach e o Coachee, em um movimento de caminhar de onde está, para onde quer chegar. O Coach busca potencializar no Coachee o reconhecimento de sua identidade, forças, habilidades, valores e pontos a desenvolver.
Outro aspecto muito relevante com relação à efetividade do Coaching está relacionado à ciência da atenção. Em meio a tantas informações externas e sobre nós mesmos, o processo pode ser uma ótima oportunidade para focar naquilo que é importante e avançar na clareza e organização das ideias.

Gosto muito do trecho abaixo sobre a nossa atenção e o impacto da forma como a utilizamos.

“A densidade de atenção descreve o quanto de atenção prestamos ou o número de observações que fazemos durante um período específico. De forma mais simples, quanto mais focados estamos, quanto mais de perto observamos, maior é a densidade de atenção (…) Com densidade de atenção suficiente, os pensamentos e ações mentais do indivíduo tornam-se parte de quem somos, parte de como nosso cérebro funciona, e portanto, desempenham um importante papel na maneira como percebemos o mundo. Em outras palavras, o poder está no foco. Aquilo onde escolhemos colocar nossa atenção muda o nosso cérebro e muda a maneira como vemos e interagimos com o mundo” (artigo intitulado “Neurocoaching – Uma Abordagem de Coaching Baseada na Neurociência”, escrito pelo Coach David Rock, após uma entrevista com o neurocientista Jeffrey Schwartz). 

Para  conhecer como nós da R122 Coaching trabalhamos, entre em contato por email: pschuindt@r122coaching.com.br

Patrícia SchuindtPor que procurar um Coach?
Ler mais