Bem-sucedido ou realizado – como você se vê hoje?

No comments

Qual a diferença entre ser bem-sucedido ou realizado?

Há pessoas que alcançaram o sucesso profissional, segundo alguns padrões mercadológicos de retorno financeiro, status, nível hierárquico, crescimento de carreira…mas não se sentem realizadas. Pelo contrário, sentem-se insatisfeitas e infelizes. Normalmente, essas pessoas nunca pensaram onde realmente gostariam de chegar, o que valorizavam, a forma como gostariam de viver, pessoal e profissionalmente. Algumas pessoas até começaram a descobrir coisas importantes sobre si, mas não tiveram a decisão de avançar em sua busca por mais sentido.

É claro que é possível ter sucesso e ter realização ao mesmo tempo. Esse é o estado desejado, certo?

O conceito de realização que trago nesse texto é: sentir satisfação ao conseguir tornar reais verdadeiros sonhos e objetivos. Não, não é o papo da vida perfeita. Mas, de uma vida real, consciente, que tem coisas boas e ruins, mas que faz sentido.

E para alcançar a realização é fundamental ter autoconhecimento em alguns tópicos como: Identidade, Forças e Habilidades, Propósito e Valores, Visão de futuro. Compartilho com você algumas ideias que podem ajudar nessa reflexão!

IDENTIDADE:

É o conjunto de características singulares, próprias, que nos tornam únicos. Pare para pensar:

  • Quem é você?
  • Como é sua forma de pensar e agir?
  • Se eu te pedisse para se descrever, o que você diria sobre você?

Essas são perguntas profundas e muitas vezes difíceis de responder. Não desista de pensar sobre elas por esse motivo. O autoconhecimento é um processo que vai acontecer por toda nossa vida. Mas ele precisa ser intencional.

Uma pergunta muito comum que escuto é: “é possível mudar quem somos?”

Acredito que todos temos uma essência invariável que diz “esse sou eu”, a nossa marca pessoal, que nos diferencia de todos os demais. Assim como a nossa digital é única. Não há sequer um ser humano igual, nem mesmo os gêmeos, que vão se transformando logo após nascerem. Temos características muito próprias que são resultado de nossa genética e experiências.

Vamos nos formando ao longo de nossas vidas e aqui está uma questão chave: por mais que o nosso desenvolvimento maior e mais veloz ocorra na infância e adolescência, nosso cérebro nunca para de ser modificado. Ou seja, podemos ser transformados. Cientistas de antigamente acreditavam que nosso cérebro era imutável, inalterável. Descobertas atuais da neurociência dizem que temos a capacidade de desenvolver novos hábitos e comportamentos. Como? Com atenção direcionada, repetição e prática.

Ou seja, você pode refletir e fazer escolhas, diante dos propósitos e objetivos que queira alcançar. O processo de transformação é o que ocorre entre quem sou hoje e quem eu quero me tornar. Esse processo requer reflexão, autoconhecimento, formação de novas ideias. A partir disso, novas ações e comportamentos.

Gosto muito dessa frase pois representa bem o sentido expresso acima: “A mudança dos seres, não contraria o princípio da identidade, já que representa apenas a atualização da potência nela contidas.” Aristóteles

Quero propor para você um exercício que chamo de “autobiografia”. Ele pode te ajudar a reconhecer aspectos importantes em sua trajetória.

 Exercício Autobiografia:

Pense sobre sua infância, Adolescência até chegar na idade adulta:

  • Quais foram os principais acontecimentos?
  • Que influências você recebeu das pessoas com as quais mais conviveu?
  • Quais foram os valores e a cultura aprendidos?
  • Quais foram as principais mensagens que te disseram que você considera terem tido impacto?
  • Qual o impacto disso na forma como você pensa e age hoje?

 FORÇAS / HABILIDADES

O que você faz bem? É comum, em atividades em grupo ou atendimentos individuais, as pessoas encontrarem dificuldades para responder essa pergunta. Algumas pessoas só enxergam o outro como alguém a ser admirado. Ou ficam constrangidas por falarem de si. Esse é um exercício de se reconhecer e se valorizar. O que é bem diferente de ter uma atitude arrogante e prepotente. É quase como pedir que você note a si mesmo, que você enxergue seus pontos fortes e qualidades.

Você pode ter uma capacidade natural, ou seja, um talento, para algo e também pode ter desenvolvido uma habilidade ao longo de sua vida.

Deixo aqui um desafio: anote agora, três pontos positivos que enxerga em você. Você também pode perguntar para seus amigos, família, pessoas de confiança, o que eles enxergam. A partir disso, você pode perceber: o que as pessoas falaram em comum? Reflita sobre isso. Não tenho a menor dúvida, de que você tem qualidades e que se reconhecê-las, mudanças poderão acontecer em você.

Quais os benefícios de reconhecer pontos fortes? Ajuda aumentar a segurança e autoconfiança. É importante para fazer escolhas e descobrir a direção a seguir, seja na vida pessoal ou profissional e, consequentemente, obter melhores resultados.

VISÃO DE FUTURO

Até aqui focamos em falar sobre quem você é hoje. Retomamos questões do passado e olhamos para o presente. Mas, parte do autoconhecimento é pensar onde você quer chegar. Visualize o futuro que quer construir! Fazer isso, é criar uma visão que vai te nortear em suas ações no presente. Não podemos controlar muitas coisas, é verdade.  No entanto, sem definir objetivos, o que acontece? Você vai para onde as situações, pessoas, demandas te levarem. Isso pode ser arriscado quando falamos de realização. Pois, você pode acabar vivendo sonhos que não eram seus e não sentir satisfação ao reconhecer onde chegou.

  • O que te faria se sentir realizado, em 1, 3 e 5 anos?

Quero te ajudar a pensar um pouco mais sobre isso. Pare por um instante e reflita:

  • Quais são seus sonhos?
  • O que você quer que seja diferente em sua vida no futuro?
  • O que quer ter alcançado?

Não coloque limitações para responder essas perguntas. Deixe vir em sua mente e coração as respostas.

Talvez ao pensar nisso, venham algumas barreiras e emoções negativas, mas se esforce para continuar o processo e responder o que realmente quer. Se preciso, busque ajuda. Lembre-se que estamos falando de algo novo, um futuro a construir. Algumas pessoas não crescem profissionalmente naquilo que querem, pois não conseguem definir opções do que querem alcançar. Ao pensar no futuro, é importante deixar a imaginação e coração te levarem, a parte de estruturar e colocar em planos reais, vem depois disso. Vamos por partes. Destaco aqui as palavras Imediatismo x construção. Quero que guarde isso. Estamos imaginando o prédio a ser construído, o que queremos ter nele, como ele vai ser. Depois, vamos pensar nos recursos, estratégias, passos práticos. E um prédio não se constrói de um dia para outro. Esse é um processo que pode levar tempo.

Importante: se o que te atrapalha de pensar nisso são experiências passadas, te convido a pensar que recomeçar é um sinal de força, não de fraqueza. Recomeçar de um novo jeito, com novas estratégias, até mesmo, em alguns casos, adaptando o que se quer alcançar. Ao invés de desistir, por se apegar aos erros, falhas, dificuldades. Importante é avançar e para isso ajustar o plano conforme novas informações aparecem no caminho. Então, volte-se às perguntas acima e foque nelas, se necessário por alguns dias, ou o tempo que for preciso.

Enquanto você vive o hoje e olha para o futuro, te convido a pensar em duas coisas importantes: propósito e valores.

PROPÓSITO E VALORES

Gosto de pensar propósito a partir de duas perspectivas: um Propósito maior, relacionado ao sentido de sua vida, à sua existência. Esse propósito está relacionado com seu papel aqui na Terra. Qual é a sua missão? Ele vai nortear as escolhas mais profundas em sua vida. Por que você faz isso ou aquilo? Por que está indo nessa ou naquela direção? A conexão com o Propósito impacta sua motivação e foco. Por mais difícil que algumas situações sejam, quando você tem isso claro, segue adiante. Neste sentido, vale pensar:

  • Que propósito você acredita ser seu?
  • O que te move?
  • O que te inspira?

E a segunda forma de pensar propósito, tem mais relação com ações cotidianas. Você se propôs a fazer uma atividade e pensa: qual o propósito disso? É um propósito mais ligado à ação, enquanto o anterior, é mais ligado à sua existência. Claramente, é importante que seus propósitos diários estejam relacionados com o propósito maior. Lembre-se, portanto, qual a finalidade de suas ações diárias.

Conectado a isso, você pode pensar sobre seus valores. Os valores dão forma a como realizar suas ações e tomar decisões. Como você quer viver, se relacionar, alcançar seus objetivos.

  • O que tem valor para você?
  • O que você valoriza em sua vida e seu trabalho?
  • Do que você não abre mão em sua forma de ser e agir?
  • O que você quer gerar nos ambientes em que participa?
  • Quais valores estão norteando as principais decisões da sua vida?

Separe uns minutos para pensar.

E, então, o quanto você se sente hoje quanto a ser bem-sucedido ou realizado?

Continue sua reflexão e observação diária e aos poucos, mude de direção, se necessário.

Encontrar nossa essência e viver coerentes com o que acreditamos e valorizamos, nos traz uma paz e certeza de estar no caminho certo, mesmo com dificuldades.  E isso, não tem preço.

Recomendado para você

Patrícia SchuindtBem-sucedido ou realizado – como você se vê hoje?

Related Posts

Cultura de Coaching nas organizações – qual o impacto?

Como é a cultura e o clima em sua organização? Como os líderes pensam e agem diariamente? E qual o impacto disso? Na Cultura de Coaching, o Líder tem um Estilo de Liderança que é marcado por uma mentalidade de crescimento. As crenças, valores e atitudes, podem ser traduzidos em algumas afirmações como: “Como Líder,

Trabalho – em busca de sentido

“Katherine Alsdorf […] entende bem essas três buscas: busca de significado para a vida por intermédio de um diploma de faculdade, busca de prazeres e aventura depois de formada, vindo, então, um mergulho quase desesperado no trabalho e na carreira profissional aos 30 e poucos anos, em um esforço inútil de conferir um propósito à

Nó desfeito – aprendizados da escalada

A experiência de viver algo diferente, sair da rotina e aprender algo novo – seja esporte, música, dança… – é transformadora. O que você  já pensou em fazer, mas ainda não fez? Recentemente, um cliente escreveu um texto tão bonito sobre sua experiência com a Escalada, que pedi pra compartilhar. Ele descreve seus medos, superações

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *